METALFER
BOMBEIROS

LEGISLAÇÃO EM VIGOR
Decreto Estadual N° 56819 /2011
Instruções Técnicas do Corpo de Bombeiros de São Paulo. Revisão do ano de 2011.
Link para a legislação:
http://www.ccb.polmil.sp.gov.br/.Nele podem ser baixados o decreto estadual e as instruções técnicas.

LEGISLAÇÃO EM VIGOR APLICÁVEL A INDÚSTRIA / DEPÓSITO.
Itens aplicáveis a Edifícios Industriais e Depósitos na área de trabalho da METALFER, em relação a Segurança Estrutural.
- Decreto Estadual N.56819/2011. Tabelas 6I.1/6I.2/6J.1/6J.2
- IT 03/2011 : Terminologia de segurança contra incêndio.
- IT 08/2011 : Segurança Estrutural nas Edificações.
- IT 14/2011 : Carga de Incêndio nas Edifições e Áreas de Risco.
- IT 09/2011 : Compartimentação Horizontal e Vertical.
- NBR-14432 : Exigência de Resistência ao Fogo de Elementos de Construção de Edificações.
- NBR-14323 : Dimensionamento de estruturas de aço de edifícios em situação de incêndio-Procedimento.

PROCEDIMENTO RÁPIDO PARA CONHECER OS REQUISITOS DE SEGURANÇA ESTRUTURAL.
Edifício industrial térreo.
- Procurar na IT 14/2011, anexo A, página 302, o tipo de atividade da indústria.
- Se a carga de incêndio for inferior a 1200 Mj/m² (divisões I1 e I2), as colunas são isentas de resistência ao fogo.
- A maioria (90%) dos edifícios industriais térreo são isentos de resistência ao fogo.
- Se forem das divisões I1 ou I2 são isentos de compartimentação.
- Se forem da divisão I3 precisarão compartimentação ou sprinklers.
Edifício térreo para depósito.
- Se o material armazenado (desconsiderar embalagem) for combustível quase com certeza as colunas deverão ter resistência ao fogo de 1 hora.
- Depósito de material combustível precisarão de compartimentação horizontal a cada 4.000m² (a maioria), 7500m² ou 10.000m². A compartimentação pode ser substituída por sprinklers.

AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE ESTRUTURA METÁLICA / CONCRETO POR PARTE DO CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO
* É função do Eng° responsável pela obra fornecer referências, dados, informações e cálculos técnicos que permitam ao Corpo de Bombeiros avaliar e aprovar o projeto de acordo com a legislação em vigor.
* No caso de discordar da resposta da unidade local, pode ser solicitado reestudo do processo, que será examinado em instancias superiores.

NORMAS DA ABNT EM VIGOR
* NBR 14432 "Exigências de resistência ao fogo de elementos construtivos de edificações - Procedimento".
- Estabelece o TRRF e as insenções de TRRF dos edifícios de acordo com tipo de ocupação/uso, dimensões do prédio, etc.
- Define os métodos aceitos para assegurar que os elementos construtivos atendam os tempos requeridos de resistência ao fogo.
- Aplicável em todo Brasil. No Estado de São Paulo com as adaptações das ITs..

* NBR 14323 "Dimensionamento de estruturas de aço de edifícios em situação de incêndio-Procedimento".
- Estabelece os critérios de cálculo da resistência ao fogo de estruturas metálicas sem proteção e com proteção.

CONHECIMENTO BÁSICO PARA APLICAR AS NORMAS E IT.
* Altura da edificação : Distância entre o térreo e o último pavimento com permanência humana. Ex: Galpão térreo (1 pavimento), com pé direito de 5 metros, ou 12 m, ou 20 metros, é definido como altura de 0 metros ou térreo. O telhado normal de um galpão normal não é pavimento com uso / permanência humana.

* Edificação térrea :
Galpão de 1 pavimento (térreo) que pode ter mezanino(s) com área inferior a 1/3 da área em planta do galpão.

* TRRF = Tempo Requerido de Resistência ao Fogo dos elementos construtivos: (basicamente das colunas de sustentação do prédio, em edifícios térreos).

* Área : Todas as referências são de área construída.

* Ocupação mista: Não é considerada ocupação mista o conjunto de atividades onde predomina uma atividade principal que possua atividades secundárias fundamentais para a concretização de primeira .
Exemplo: Em edifício industrial com atividade produtiva, as atividades secundárias de escritórios, restaurantes, vestiários, depósitos de matéria prima, depósitos de produtos acabados, almoxarifado, etc, não configuram atividade mista.

* Ocupação/uso: Do edifício, não do complexo industrial, comercial ou residêncial de que podem fazer parte.
Exemplo: Edifício isolado de restaurante dentro de um complexo industrial é caracterizado como restaurante, não como edíficio industrial.

ELEMENTOS ESTRUTURAIS A SEREM PROTEGIDOS EM EDIFÍCIOS NÃO ISENTOS.

* Coberturas: Isentas, exceto se tiverem função de piso ou usadas como saída de emergência.

* Colunas : Todas as que sustentarem a cobertura, pavimentos, ou mezaninos.
Não inclue colunas de sustentação exclusiva de fachadas ou divisões sem características de compartimentação ou corta fogo (não fazem parte da estrutura principal do prédio, ao menos em prédios térreos). Nem colunas de sustentação exclusiva de mezaninos isentos. Nem colunas de sustentação exclusiva de escadas abertas.

* Contraventamentos verticais entre colunas: Usado geralmente em estruturas metálicas e em alguns tipos de concreto prémoldado. Os bem projetados alcançam com relativa facilidade sem proteção o TRRF de 60 minutos.

* Vigas, principais ou secundárias: Todas, exceto as de coberturas e mezaninos isentos.

GALPÕES INDUSTRIALIZADOS DA METALFER. RESISTÊNCIA AO FOGO DAS COLUNAS
Qualquer que seja a carga de incêndio e o material combustível:

Colunas laterais : Resistência superior a 60 minutos. 60 minutos é o TRRF máximo exigido nos edifícios térreos . Não precisam de proteção contra fogo.

Colunas de geminação : A maioria, não todas, tem resistência de aproximadamente 25 a 40 minutos. Se o prédio não for isento, serão protegidas com pintura intumescente, e o custo aparece no orçamento em item destacado.

Colunas laterais com marquises fixadas abaixo do topo da coluna : Se o prédio não for isento, serão protegidas com pintura intumescente, e o custo aparece no orçamento em item destacado.

Voltar ao início